" Qualquer homem pode despir o corpo de uma mulher. Desnudar sua alma, porém, é tarefa para poucos." - Chandelli 69 Contos Secretos: Sou seu, e você é minha

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sou seu, e você é minha

   




   Estavam deitados na cama assistindo televisão. Tinham acabado de ter uma tarde incrível.  Ela passou os canais e parou em um programa que passava algo sobre casamentos. Ele queria assistir a reprise do jogo no canal de esportes. Tomou o controle das mãos dela e trocou de canal, ela ficou tentando pegá-lo fazendo-o cócegas. Brincavam iguais crianças. Até ela conseguir tirar dele e colocar de volta no programa. Entrou no assunto de quando se casaram. Lembravam-se da cerimônia e as coisas engraçadas da festa.  Ela estava deitada no peito dele ouvindo seu coração batendo...





    – Eu vos declaro marido... E mulher!

   A igreja estava completamente decorada com arranjos e tubinhos cheios de água com flores áster pendurados. Ela estava definitivamente linda naquele vestido branco com detalhes prata. O buquê era de orquídeas com peônia e ervas aromatizada. À tarde, depois da cerimônia, os convidados foram para a fazenda do casal onde fora realizada uma festança.



   Luminárias japonesas davam um toque delicado no salão. Nas mesas lembrancinhas criativas do tipo temperinhos com palavras positivas como: Felicidades; Paz; Harmonia; etc. deixavam os convidados encantados. Uma pequena cabine de fotos instantâneas no estilo retro alegrava parentes e amigos do casal. Homenagem de ambas as partes passaram em um telão. Nos docinhos tinham as iniciais dos dois, ora prateadas, ora douradas. No final da festa, já estava quase anoitecendo, eles saíram direto para a lua de mel, o destino: um chalé no Rio Grande do Sul.




   Chegaram pela manhã. Lareira, calefação, mezanino e hidromassagem.  Após um passeio incrível em mini caravelas pelo Lago Negro, depois do almoço, subiram para o quarto da pousada. Ao entrarem no quarto, pétalas de rosas estavam espalhadas em todos os lugares. Ela totalmente emocionada se jogou aos braços dele e lhe deu um beijo longo e carinhoso, daqueles que despertam uma sensação maravilhosa de união, desejos e intimidade. Durante um jantar romântico à luz de velas e com vinho, eles se olhavam maliciosamente ao longo da conversa engraçada e provocativa. Quando acabaram, o clima já estava bastante sensual.





   Luzes que davam um toque especial e um som relaxante tomavam conta do espaço.



    – Dizem que duas vidas já são escolhidas para ficar juntas antes mesmo de nascer... – Disse sem tirar os olhos dela.

   – Você... Sempre foi. E sempre vai ser minha... – Adicionou com ar sedutor.
  Levantou e parou atrás da cadeira dela e colocou seus cabelos caídos para trás da orelha.

   – Para sempre e em todas as nossas encarnações.      

   Esticou um dos braços e pediu a mão dela. Ela deu, levantou e parou na frente dele, olhando-o. Deu um selinho nela, na ponta do nariz, no queixo e caminhou dando a volta por ela, juntando algumas mexas do seu cabelo para as suas costas. Andou para sua frente e passou o polegar em seus lábios delicadamente, segurou pela sua cintura e a puxou pressionando contra seu corpo. Na mesma hora ela sentiu uma quentura invadir o meio de suas pernas e cada vez mais estava certa da decisão que tomara em aceitar este homem com seu marido.

   Beijaram-se intensamente. Suas línguas se enrolavam em prazer.  Seu beijo despertava fantasias à medida que suas mãos percorriam pela cintura em direção aos seios dela.  Beijando-a, apertou lentamente cada um por cima do vestido tomara que caia com estampa de oncinha. Ele a conduziu até encostar a bunda dela na borda da mesa. Ele abaixou seu vestido, deixando seus seios à mostra e apertou cada um com mão de garra pressionando os mamilos, já enrijecidos, com o polegar. Ela gemeu ainda mais e começou mexer o quadril se esfregando contra o corpo dele, sentindo seu pênis endurecido e alisava-o por cima da calça jeans.

   O móvel rugia com os movimentos dos dois. Passou as mãos na bunda dela e apalpava  forte e vontade. Empurrou com o braço os pratos e talheres que acabaram de usar, segurou-a firme pelas nádegas e a sentou em cima da mesa.

Sentada, ela cruzou as pernas em volta dele.
 – Faça o que quiser comigo, sou sua... – Sussurrou entre gemidos.

   Beijaram-se mais uma vez. Subiu as mãos pelas costas dela até seu cabelo e puxou para trás. Começou beijar seu pescoço exposto e indefeso por uns minutos que pareciam eternos. Logo depois, ela tirou sua camisa azul, e ele deslizou as mãos pelas suas pernas subindo seu vestido. Tirou seu cinto e o jogou no chão.

   -– Sua pra sempre! - Acrescentou no seu ouvido com a voz meio rouca.

   Beijou-a ferozmente, abocanhando-a, demonstrando sua fome por ela. Prendeu a língua dela entre seus lábios abertos e começou fazer movimentos de sucção ao mesmo tempo em que girava a língua dela com a ponta da sua língua. Continuava alisando suas coxas com a ponta dos dedos vagarosamente.

   Gemiam entre os beijos.

   Ele segurou o queixo dela e lambeu o contorno da boca dela bem devagar.
 – Assim que eu vou fazer aqui – colocou a outra mão na boceta dela por cima da calcinha.

   Foi o suficiente para fazê-la contrair-se entre as pernas. Ele segurou seus seios e começou a chupá-los forte apertando com as mãos contra sua boca selvagem. Depois, ela jogou seu corpo para trás apoiando-se nos cotovelos. Subiu a roupa dela deixando sua calcinha de renda verde-água aparecer. Ele segurou os dois pés dela na direção da sua boca e passou o nariz entre os dedos e pela parte da sola. O beijou por completo, dedo por dedo enquanto esfregava as mãos pela panturrilha até as coxas e a virilha. Ela o olhava com olhar libidinoso.  Ele a puxou mais para a ponta da mesa pela cintura e abriu as pernas dela no alto. Ele passou a língua e os lábios na virilha dela. Sua respiração quente deixava-a com vontade de esfregar seu sexo completamente úmido no rosto dele. Beijava e chupava de leve sem tirar os olhos dela contornado a calcinha.

  Ela arqueou o quadril para ficar  mais próximo da boca dele e grunhiu querendo que ele a tocasse com a língua lá. Ele beijou pedacinho por pedacinho e adorava aquela parte do corpo dela, sua barriguinha a mais, ficava muito sexy tanto naquela posição quanto em qualquer outra. Subiu com as mãos até seus seios e apertou vagarosamente cada um ao mesmo tempo em que a olhava com frieza, perversidade, paixão. Soltou seu sutiã devagar. Seus olhos estavam iguais cinzas, cinzas de uma chama que nunca se apagaria, que faz arder cada célula de ambos os corpos. Chupou e mordeu cada mamilo com bastante pressão os segurando com as mãos contra sua boca. Ela deitou na mesa e segurou seus cabelos tentando disfarçar a vontade de ser invadida, de senti-lo. Ele soltou um de seus seios, mas continuou com a boca em um deles e começou a alisar a barriga dela com a ponta dos dedos da mão solta. Um tesão invadiu suas veias fazendo seu sangue ferver mais e mais à medida que seus olhos se encontram. A ereção dele era visível pelas calças.

   Desceu a mão e pressionou de leve o clitóris dela com a ponta do dedo pela calcinha, e ela deu um suspiro de alívio. À medida que pressionava um pouco mais forte, girava lentamente e chupava seu mamilo com força.

  Os olhos dela já não tinham direção. A música aumentava o ritmo, a batida misturava-se entre os gemidos abafados dos dois. Seus dedos puxavam os cabelos dele com força, que continuava sugando seu mamilo enquanto circulava seu clitóris. Ela mordia e passava a língua nos lábios, deixando-os úmidos e brilhantes. Ele se excitava muito quando ela fazia isso, ergueu-se e esticou os braços até o elástico da calcinha e a tirou devagarzinho olhando-a nos olhos. Levou até o nariz e cheirou com os olhos fechados, apreciando seu odor. Ela acariciava seus próprios seios, levou uma das mãos até sua boceta e começou a esfregá-la. Com os olhos grudados, provocavam-se como dois amantes.

   Ele colocou uma mão por cima da dela fez movimentos juntos nos grandes lábios. Ela já implorava pelo seu toque, que aquele dedo a penetrasse. Ele sem pressa, e sem importar-se que ela já se contorcia e se enfurecia. Sorriu com um tom de maldade, pois, sempre gostou de provocá-la a ponto de implorar:

   – Por favor! – Sussurrou quase sem voz.

  Ele começou contornar seus lábios com a ponta dos dedos.

  – Enfia vai... Enfia em mim, por favor! – Falava entre gemidos.
  Ele abriu bem lento seus lábios rosinha com dois dedos e começou rodear a entrada da vagina delicadamente com a outra mão.
Ela apoiou uma das pernas no ombro dele e dobrou a outra para o alto. Ele fazia sinal de “vem cá!“. Depois a penetrou profundamente. O corpo dela tremeu-se por completo quando ele parou lá dentro e fez novamente o sinal de “vem cá!“ esfregando seu “Ponto G”, Ele sentia sua quentura e o quanto estava molhada. Começou a estimular o clitóris, rodeando-o com o dedão da mesma mão. Fazia dois movimentos ao mesmo tempo. Após uns segundos desceu a outra mão até sua pelve e pressionou sua pele para cima, fazendo seu clitóris ficar mais exposto, levou sua boca bem próxima e soprou seu hálito quente nele.

   Ela mexia seu quadril pra cima e pra baixo, soltando gemidos exprimidos, seu coração acelerado bombeava seu sangue cada vez mais rápido. Levantou a cabeça e a olhou rápido nos olhos, continuou com o movimento dos dedos até ela ter um orgasmo intenso na palma da sua mão.

   Ele levou seus dois dedos que estavam nela até a boca e chupou para sentir o gosto dela.

    – Você me faz perder a razão, seu cheiro me embriaga e seu gosto me abre o apetite – disse-lhe em êxtase

   Ele abriu as pernas dela, abaixou sua calça junto com a cueca boxe preta e a encaixou enfiando sua ereção por completo nela. Apertou sua cintura forte e investia com firmeza. Ela muito excitada, mexia o quadril, e sentia um fogo invadir seu corpo, todos os seus músculos ficando tensos, suas pernas se enrolavam em volta dele e seus pés se contorciam iguais arcos e os dedos das mãos arranhando a mesa, que dava altura certa pra esse sexo delicioso acontecer. Mais algumas metidas e ela gozava novamente relaxando, gemendo e respirando fundo. Ele continuou investindo até soltar seu líquido quente dentro dela e soltando uns gritos de prazer e deitando sobre seus seios soltando o ar pela boca.

   Depois de  retomar o fôlego chupou um mamilo dela e começou a meter de novo devagar. Ele levantou o corpo e a puxou pelos braços, colou seus corpos e a abraçou. Ficou com o nariz no cabelo dela até a pegar por baixo da bunda e a colocar em seu colo com seu pau a penetrando e caminhou pela sala de jantar e parou na sala principal em frente à lareira, ela segurava seu pescoço com as pernas cruzada em sua volta.

   A quentura do fogo tocava seu corpo grudado, com a testa unida se olhavam e respiravam ofegante com a boca entreaberta. A música ainda tocava. Ele a suspendia até o alto enfiando seu membro por inteiro. Caminhou até encostar as costas dela na parede a segurando por baixo. Tendo diminuído seu peso, começou a aumentar a velocidade das enfiadas. Ela gemia alto no ouvido dele olhando para o fogo até chegar ao orgasmo mais uma vez.

   Deixou-a cair, deslizando até encostar seus pés no chão. Abocanhou a boca dela em um beijo intenso e molhado. Com dedos de garras apertava sua cintura, braços, pressionando-a contra a parede. Segurou sua mandíbula com uma mão e chupou sua boca.

   Ele abaixou-se até ficar de joelhos no chão, de frente pra ela a olhando nos olhos. Beijou as coxas dela que o excita muito só de olhar. Subiu lambendo até chegar aos seus lábios, onde esfregou sua boca, seu rosto. Suspendeu uma das pernas e meteu a língua no lá e começou a dar lambidas muito leves, pois estava bastante sensível. Ela soltava pequenos gemidos enquanto empurrava a cabeça dele contra sua boceta rosada e úmida, enfiou um dedo.

   A melodia preenchia o lugar, ele dava rápidas olhadas para cima com olhos famintos e escuros. Ela entregava-se a sensação que aquilo a proporcionava. Ele adorava vê-la daquele ângulo, como faziam na época que eram jovens.

   Sugava seu sexo com vontade, como se fosse a única coisa com que se importasse no mundo. Quando o orgasmo dela já dava sinais, ele continuou na até ele chegar pela última vez ao clímax.

   Depois, foram para a banheira de hidromassagem.

 



Continua.



34 comentários:

  1. Pablo, parabéns, você escreve bem! Mas...

    Quanta p#t@r!@ :o

    Me lembrou as relações de Travis e Abby em Belo Desastre :3 ha-ha.

    Continue ._.

    Abs,
    Jhonn.

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Muito bem escrito o seu conto erótico, cheio de detalhes, vou voltar aqui mais vezes. www.textododia.com.br

    ResponderExcluir
  3. Na boa, o seu texto ficou ENORME!!
    Eu nem consegui ler porque o tá muito poluído o visual do blog - cansa as vista.
    É só uma dica, ok

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela visita e principalmente pela opnião, sempre será bem-vinda.
      São os detalhes que acabam engordando o texto e eu não penso no tamanho quando escrevo.
      O visual do blog também me incomoda, brevemente estarei tentando resover isso.
      Mais uma vez obrigado.
      :D

      Excluir
  4. Ual quantos detalhes! Eu tinha um receio antes de ler seus textos, são ótimos. Parabéns! Apenas concordo com a Carmen, está poluído o fundo do blog, talvez apenas uma única imagem ficaria melhor. ;)
    Continue com os textos, são ótimos mesmo. :D
    bjks <3
    www.emnovoestilo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz por ter feito uma visita e por ter dito o que acha e obrigado de coração.

      Excluir
  5. É difícil manter o ritmo em um texto tão longo, mas você escreve muito bem. Parabéns!

    www.adoiis.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço desde já pela opnião e pela passagem. Como eu disse antes, gosto de escrever detalhadamente e isso - às vezes - acaba engrandecendo o texto.

      Excluir
  6. Ola,tudo bem?
    Foi você que escreveu? Você tem uma ótima narrativa ,deveria publicar um livro ,é bem detalhado a história ...Parabéns
    Venha me visitar: http://jessicavenenoofficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi. Foi sim, nada profissional, é apenas um hobby.
    Muitas pessoas já deram essa ideia, mas acho cedo ainda, preciso aprender bastante ainda.
    Muitíssimo obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  8. Olá Pablo, acabei de passar em um blog com contos eróticos rs.
    Você escreve muito bem, como disse a um tempo com algumas pessoas, nestes anos como leitora e quase três como blogueira, ainda não li nenhum romance erótico escrito pelo sexo masculino, se existe não é muito falado =/
    É até interessante porque conseguimos enxergar o modo diferente da narrativa e sinceramente? Escreve muito bem ^^
    Quanto ao fundo como disseram acima, é meio complicado... Acho que se na verdade colocasse a imagem no banner ia fica mais bacana, já o fundo poderia ter um toque mais sensual....
    Enfim, aguardo a continuação e obrigada pelo comentário, haha, revelações porque não conhecia blogs (masculinos) com contos ou textos do gênero ^^

    Abraços!
    De tudo um pouco

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa fiquei sem fôlego com seu comentário, rs
      Fico super feliz em saber que gostou.
      Vou tentar resolver esse fundo assim que puder.
      Muito obrigado pelo opnião e pela visita.

      Excluir
  9. legal a proposta do blog
    http://www.modanamao.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Gostei do post muito interessante
    http://garotaglam10.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Caraca, arrepio

    http://falaseriozy.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Nossa que escrita rica em detalhes viu?! Ficou muito bom! Já pensou em ser escritor desses novos livros eróticos que viraram febre? HAHAHAHA

    Beijos,
    http://www.girlbeinggeek.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já me deram a ideia, mas acho cedo ainda, quem sabe futuramente. Rs
      Por enquanto é por apenas hobbie.
      :$

      Excluir
  13. Muito bom seu texto !!

    E o impressionante é que você consegui fazer um texto bastante interessante, sendo ele um texto grande..

    Parabéns

    ResponderExcluir
  14. Você esta sendo convidada a responder a tag7 coisas
    Espero você no meu blog para conferir.
    http://josianegaliego.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Muito legal a iniciativa do teu blog, é difícil contos eróticos escritos por homens, e tu consegue expressar bem as emoções com todos esses detalhes. parabéns.
    Adorei o texto, e com certeza voltarei aqui!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gosto de escrever esses tipos de coisas, Rs. :$
      Obrigado. ;)

      Excluir
  16. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  17. Olha eu aqui de novo no seu blog rsrs,
    Pablo sou escritora também, mas meu estilo é mais para a poesia e contos de terror, fico fascinada com o dom que você tem com as palavras, esse texto me surpreendeu, me fez lembra de quando me casei rsrs.
    você tem um dom lindo e sexy, pois é difícil ver homens escreverem textos eróticos que não sejam vulgares, e o seu é excitante e nada vulgar, o que deixa ainda mais excitante.
    beijos e sucesso.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Eu li alguns poemas seus e sinceramente, ADOREI. Contos de terror já não curto (só filmes), entretanto, se é escrita tudo é válido.
      Fico feliz por ter gostado e ter deixado esse comentário que me deixou super motivado e com o coração a mil.
      Muito obrigado pela visita.
      :D

      Excluir
  18. Olá, o texto é bom e a história não é vulgar, gostei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou tentando eliminar a vulgaridade a cada texto. Obrigado pela observação.
      :)

      Excluir